HOMOLOGAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES COMO ESTRATÉGIA COMPETITIVA

Homologação e Qualificação de Fornecedores é um processo facilitador da qualidade e produtividade nas organizações, pois permite redução de custos com inspeção, maior segurança e confiabilidade nos fornecimentos, promove um melhor relacionamento e desta forma caracteriza-se como uma das principais estratégias de Negociação com os fornecedores.

Na gestão da Cadeia de Suprimentos não basta à busca de potenciais fornecedores de produtos e/ou serviços, mas de reais parceiros que em sinergia busquem soluções criativas que possam oferecer vantagens competitivas para ambas as partes.“O objetivo principal de um estreitamento das relações com fornecedores é criar um relacionamento que garanta que o produto satisfaça às necessidades de adequação ao uso com o mínimo de inspeção de recebimento e ação corretiva”. (JURAN 1992). Para construirmos um relacionamento duradouro com nossos fornecedores precisamos estabelecer critérios para a Homologação e Qualificação dos mesmos, conforme a seguir:

HOMOLOGAÇÃO: Aprovação ou confirmação de que uma organização atende aos critérios estabelecidos e que visam gerar segurança e confiança para o processo de fornecimento.

CRITÉRIOS:
  • Apresentar antecedentes estáveis;
  • Demonstrar documentações que comprovem:
  • Habilitações jurídicas, Regularidades fiscais,
  • Qualificações técnicas e econômico-financeira.
QUALIFICAÇÃO: Ato em que o comprador avalia o seu fornecedor, a cada fornecimento, de modo a verificar se o produto, serviço, está em conformidade com os critérios estabelecidos.
CRITÉRIOS:
  • Entrega pontual;
  • Qualidade do produto / serviço;
  • Bom preço;
  • Fornecer bom serviço;
  • Cumprir com o prometido;
  • Realizar apoio técnico;
  • Manter o comprador informado sobre o andamento do pedido.
Para as empresas que ainda atuam com somente um único critério que é o preço, o menor possível, a qualquer custo e acreditam que todos os critérios acima não passam de mera burocracia, muito em breve e pela pior forma irão constatar que estão perdendo por falta de comprometimento do fornecedor e em conseqüência falta de qualidade e de produtividade.

Por volta dos anos 80 e com o inicio da implantação dos Sistemas de Gestão da Qualidade nas organizações surge primeiro o Sistema de Gestão da Qualidade a NBR ISO 9000, e que já dizia que “As organizações e seus fornecedores são interdependentes e uma relação de benefício mútuo amplia para ambos a possibilidade de agregar valor.” Mais profundamente, o princípio nos leva ao entendimento de que se pode estabelecer alianças estratégicas e parcerias, assegurar o envolvimento e a participação através da definição dos requisitos para o desenvolvimento e melhoria conjunta de produtos e serviços, desenvolver a confiança mútua, o respeito e o comprometimento com a satisfação do cliente e com a melhoria contínua dos processos das duas partes.
Com a chegada das ISO 14001, OHSAS 18001, S A 8000 os critérios de seleção e controle de fornecedores ultrapassaram os limites da qualidade do produto e/ou serviço. Os fornecedores devem evidenciar a capacidade de entregar produtos ou serviços com a qualidade exigida, que sejam produzidos com responsabilidade ambiental, isto é, que em seus processos produtivos sejam incluídos os devidos controles para a prevenção da poluição, que não coloquem em risco a saúde e segurança de seus colaboradores, que respeitem as leis trabalhistas e que não estejam envolvidos com trabalho infantil, trabalho escravo, discriminações de qualquer ordem.

Várias organizações já perceberam que, para manter a rentabilidade de seu negócio, é preciso relacionar-se com todas as partes envolvidas: acionistas, consumidores e clientes, público interno, comunidade, fornecedores, meio ambiente, governo e sociedade. E desta forma gera o efeito dominó, empresas levando mais empresas a cumprir os requisitos e para isto estarem obrigadas a se tornarem mais responsáveis em relação aos produtos fornecidos, a prevenção da poluição ambiental, a preservação da saúde e segurança dos funcionários, que vai promover a melhoria da qualidade de vida, para os envolvidos nos processos destas empresas. Pode-se dizer, “Ah, elas fazem porque são obrigadas”, mas não importa, fazem, e com isto começam a criar entre seus colaboradores, o hábito, a cultura de fazer a coisa certa, produzir produtos honestos, destinar seus resíduos adequadamente, cumprir com regras de segurança pessoal. Estes conceitos na maioria dos casos são levados para as casas e famílias dos colaboradores, criando uma incrível rede de multiplicação de boas práticas.

3 Response to "HOMOLOGAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES COMO ESTRATÉGIA COMPETITIVA"

  1. mary101010 24 de outubro de 2009 05:07
    Gostei muito da aula,embora tenha trabalhado pouco com fornecedores pois em minha antiga empresa eles já estavam homologados,achei muito importante saber como proceder para fazer este tipo de trabalho as esperiências que houvi dos colegas realmente ajudaram,assim como o conhecimento do professor.
  2. Haroldo Ribeiro 1 de junho de 2011 19:54
    A grande problemática é que muitos compradores ainda diferenciam e escolhem seus fornecedores somente pela questão do preço. Com isso a relação de parceria é fragilizada. A exigência de certificações ambientais se bem evoluida pode mudar esse cenário já que as questões ambientais estão sendo muito consideradas.
  3. Kleiber 6 de maio de 2014 07:01
    Ocorre um grande equívoco quanto ao processo de homologação e Qualificação de fornecedores em algumas empresas pois estes (fornecedores ) devem ser liberados para fornecimento pelo setor de Qualidade inicialmente, podendo dar opções para o comprador entre alguns aprovados previamente, pois evita a possibilidade de compra somente com foco em menor preço.